Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Tecnologias de Apoio para a Comunicação

por centrosermais, em 14.01.14

Ao conjunto de equipamentos e mecanismos que auxiliam o seu utilizador a exprimir-se dá-se o nome de “tecnologias de apoio para a comunicação”.

 

Estas Tecnologias de Apoio surgem como um meio fundamental para ultrapassar barreiras físicas, sempre com um objetivo de contribuir para um aumento da qualidade de vida do individuo com deficiência ajudando-o a superar e a resolver os seus problemas funcionais. Estas tecnologias devem, também, ser entendidas como parte integrante do Sistema de Comunicação e não de forma isolada, devendo ser tidas como uma alternativa facilitadora de sucesso quando a criança não consegue viver experiências novas pelos seus meios naturais. A avaliação das carências, das necessidades de comunicação, é uma forte influência, posteriormente, na escolha de determinada tecnologia de apoio para a comunicação.

 

Colocando a criança com disfunção motora em contacto (o mais cedo possível) com estas tecnologias de apoio vai permitir trabalhar e aumentar o seu nível de autonomia e participação na sociedade como membro ativo. Assim sendo, estas ajudas técnicas vão permitir não só transmitir uma mensagem, mas também facilitar o processo de interação (ou seja, a comunicação com o meio envolvente) revelando-se um apoio essencial ao processo de ensino-aprendizagem. Isto porque, uma criança com deficiência neuromotora grave (com consequente problema na fala) só transmitirá algum tipo de mensagem se tiver um dispositivo com símbolos e se os puder produzir e selecionar. Seguindo esta linha de pensamento, estas técnicas devem, então, ser pensadas e elaboradas de acordo com as suas necessidades e respondendo a algumas questões que devem ser tidas em conta: como, quando e onde vai ser utilizado?; quais as suas capacidades cognitivas?; quais as expetativas do próprio utilizador?; e que tipo de mensagens devem estar ao seu dispor?.

 

No entanto, além destas técnicas de ajuda tem de se pensar numa forma eficaz do indivíduo transmitir o símbolo selecionado. Para isso, e dependendo do grau de dificuldade, podem-se optar pelos seguintes métodos de seleção: seleção direta e seleção por varrimento. Na seleção direta o utilizador aponta diretamente para o símbolo selecionado. Este processo pode ser realizado através do toque (dedo ou outra parte do corpo – sem ajuda), através do recurso a um dispositivo que sirva de interface entre o utilizador e o suporte de símbolos (ponteiro luminoso – com ajuda) ou ainda através da fixação do olhar num símbolo (eye-pointing – sem ajuda). Na seleção por varrimento os utilizadores são maioritariamente indivíduos cujas incapacidades motoras os privam de utilizar um método de seleção direta. Este método consiste basicamente na oportunidade de escolher os símbolos de modo sequencial dando a conhecer ao seu parceiro de Comunicação o símbolo escolhido através de um símbolo predefinido entre ambos.

 

No caso das crianças com deficiência motora grave, as atividades pedagógicas devem ser pensadas e elaboradas de maneira a minimizar as suas dificuldades ao nível das aprendizagens e de maneira a que também elas tenham experiências significativas sentindo-se mais motivadas e interessadas para aprender. Posto isto, também aqui são utilizadas algumas tecnologias de apoio como o tabuleiro de comunicação feitos de materiais diversos e para as diversas áreas. Estes tabuleiros podem ser manuais (brinquedos), elétricos (relógio indicador que permite a escolha de símbolos por varrimento) ou eletrónicos (digitalizadores de fala que permitam a gravação e emissão de fala). A brincadeira é um ato social e de desenvolvimento pessoal fundamental para qualquer criança, porém uma criança que não possa participar em atividades lúdicas perde a possibilidade de vivenciar um desenvolvimento normal. Assim sendo, também estas crianças com problemas motores graves devem ter a oportunidade de participar em atividades lúdicas e uma das formas é recorrendo a brinquedos apropriados às suas idades e capacidades de forma a estimular o desenvolvimento sensório-motor e a coordenação óculo-motora.

 

O recurso às tecnologias de apoio, quer de forma isolada quer em conjunto com outro modo de comunicação, torna-se assim indispensável ao individuo com deficiência proporcionando-lhe oportunidades de desenvolivmento pessoal e social.

 

Adaptado por Márcia Fidalgo.

 

 www.centrosermais.com | www.facebook.com/centrosermais.com

Autoria e outros dados (tags, etc)



Visitantes

Free Counter
Free Counter





O Ser Mais

foto do autor


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Revista de blogues

logopumpkin